De Paul (3) (Português)

Meus Queridos,

Neste momento você pode estar se sentindo muito só, independentemente de quanta gente haja ao seu redor. A depressão foi para mim, como caminhar sobre águas de um oceano escuro.  Eu não via onde me apoiar e temia afundar a qualquer momento. E isso me assustava muito.  Continuou assim até que alguém me fez notar que eu ainda mantinha a cabeça fora da água e que, lá no fundo, havia algo que não permitia que eu me afogasse. Eram pequenas coisas, mas estavam lá e eu não podia negá-las.

Depois de sobreviver a uma tentativa de suicídio percebi que as coisas mudam, e para melhor.  Naquele tempo eu acreditava não ter razão para viver. A "voz" na minha cabeça era tão alta mas tão errada, que decidi afogá-la com áudio-books e músicas de rádio.  Isso me deu tempo para me fortalecer o suficiente e encarar a depressão.  Já não sou aquela pessoa que foi parar no hospital e não tenho palavras suficientes para contar-lhes o quanto minha vida mudou, e quão feliz estou por estar aqui dando este depoimento.

A depressão pode pode roubar sua alegria mas, posso prometer-lhes o seguinte:  Você sorrirá de novo. Voltará a gargalhar outra vez.   Encontrará as coisas que fazem a vida valer a pena.  A depressão tem um jeito de colocar lentes que te fazem ampliar os aspectos negativos e obscurecer os positivos.

Essas lentes não saem imediatamente mas, em breve, você verá o mundo com novos olhos.  A razão pela qual você está lendo isso e porque algo, lá no fundo de você, ainda quer permanecer conosco.  Eu, com certeza, desejo que consigas. Há esperança.  Eu sei porque voltei a sorrir ... E ninguém pode perder meu sorriso

Cuidem-se.

Desejo-lhes todo o amor do mundo.

Paul

Translated by Raimundo Wenceslau